EN PT

Voltar

YELI YELI

A música é uma forma de ligação, sempre: entre notas, entre melodias, ritmos e palavras, entre pessoas, entre culturas e até entre épocas. Dessa maneira, a música é também uma forma de viajar – entre géneros, entre diferentes práticas, ultrapassando fronteiras e modos de estas e fazer. YELI YELI é isso tudo. E muito mais.

Pedro da Linha e Álvaro Romero, a nova Lisboa e a velha Cádiz, conheceram-se no âmbito de uma residência incentivada pela plataforma Liveurope e pelo festival de showcases MIL Lisboa, em 2021. Do desafio, por um lado, e da pressão do tempo, por outro, nasceu um espectáculo, primeiro, e um projecto discográfico depois. E é, pois claro, uma viagem de ligações, entre modos populares portugueses e andaluzes, entre a voz e a electrónica, entre a pista e o sentimento, entre o fandango e o flamenco. O objecto híbrido que ambos construíram é sinal de um mundo novo, sem fronteiras, sem impossíveis, pleno de possibilidades.

Pedro da Linha é, claro, um dos mais entusiasmantes nomes do nosso presente, produtor de mão cheia que conhece como poucos as dinâmicas das pistas, mas que tem mostrado em trabalho com artistas como Branko, Pedro Mafama ou Ana Moura que há na sua arte um universal apelo pop, tendo aperfeiçoado uma capacidade singular de casar cadências desafiantes com modos pop em canções que têm virado autênticos hinos simbólicos de uma nova modernidade portuguesa. A sua música dança-se, claro, mas também se canta, sente-se. Vai fundo, parecendo tocar ao mesmo tempo algo em nós que é ancestral e outra coisa qualquer que ainda não sabemos o que é, mas que temos a certeza que vem do futuro.

Álvaro Romero, por seu lado, é um cantor activista que vem de Cádiz, um dos berços do flamenco, que fez sempre questão de não se deixar amarrar pela tradição procurando, ao invés, usá-la como ponto de partida para a descoberta. Trabalhou textos de poetas homossexuais num projecto com o produtor Tony Martin apresentado em 2020 na Monkey Week, em Alhambra, deixando aí imediatamente claro que está tão interessado na invenção de algo novo como na preservação de uma cultura que também é a sua.

Juntos, os YELI YELI de Pedro e Álvaro, cruzam os pulsares do futuro, bebendo nas tradições da chula, do fandango, da rumba e do flamenco para encontrarem ecos árabes, galegos e tanto mais no desenho de uma ideia nova que é de ligação, como se começou por explicar, entre a criatividade dos dois, pois claro, mas sobretudo entre culturas musicais distintas, mas ambas com abertura às mais inventivas e excitantes possibilidades de criação. No trabalho discográfico que juntos assinam está uma ideia inédita de futuro, carregada de alma e de argumentos para a dança, um baile brilhante cheio de sangue e nervo, de alma e músculo. YELI YELI.


Press Kit Booking